Nidação – O Que É, Sintomas e Quanto Tempo Dura

Em algum momento você já escutou o termo nidação e ficou se perguntando o que seria isso?

Bom, diferentemente do que possa parecer esse nome, ele significa ou representa um processo natural do corpo de qualquer mulher, pois marca o começo do seu estágio de gestação.

Falando de um modo um pouquinho mais técnico, podemos dizer que a nidação é um processo caracterizado pela implantação do ovócito fecundado, também chamado de ôvo ou zigoto, na parede do endométrio.

Esse verdadeiro fenômeno fisiológico acontece tanto em gestações que foram concebidas de modo natural, quanto naquelas gestações que começaram através de procedimentos de reprodução assistida.

Normalmente, esse processo, que compreende o momento da formação do zigoto até a implantação no útero da mulher, dura em média de 5 a 7 dias, dependendo é claro da variação do ciclo de ovulação individual de cada mulher.

Resumindo, esse processo somente se concretiza no momento em que o ovócito, já fecundado pelo espermatozoide, termina seu trajeto pela tuba uterina e alcança a cavidade do útero.

Uma vez presente nesta cavidade, ele adentra a camada do endométrio que a reveste internamente e, tudo acontecendo como o esperado, permanecerá neste local até o final da gestação.

O Papel Fundamental da Nidação

É muito relevante dizer que a nidação é um acontecimento de fundamental importância para o futuro da gravidez, pois o sucesso da gestação requer que este processo de implantação seja realizado de modo perfeito, especialmente para que sejam liberados com fluidez e sem problemas todos os nutrientes essenciais no desenvolvimento e formação do embrião.

O grande problema neste tema, digamos assim, diz respeito ao fato de que algumas mulheres acabam apresentando um leve sangramento, que dura normalmente até 3 dias.

É justamente ai o problema, pois a falta de informação ou conhecimento faz com que nem todas as mulheres estejam preparadas ou mesmo saibam o que está acontecendo.

Algumas delas chegam inclusive a confundir esse sangramento com fluxos menstruais normais, já outras mulheres chegam a ficar muito preocupadas com isso, sem saber realmente o motivo desse sangramento.

Em situações assim, a melhor atitude a se tomar é entrar em contato com seu médico, pois o mesmo saberá orientar cada caso individualmente.

Principais Sinais e Sintomas

Antes de mais nada, é importante dizer que, apesar de toda mulher passar pelo processo de nidação ao engravidar, nem todas apresentarão processos de sangramento durante esse período.

Já aquelas mulheres que apresentarão este sinal, vale a pena dizer que esse sangramento acontece num fluxo normalmente pequeno, com uma coloração que pode variar entre um leve tom rosado até uma cor marrom.

Na imensa maioria das vezes, o processo de nidação se dará de modo assintomático, ou seja, indolor.

Apenas em algumas raríssimas exceções é que algumas mulheres relatam leves dores na região pélvica, semelhantes a cólicas.

Importante citar ainda que durante a nidação, podem aparecer alguns dos sintomas mais recorrentes da gravidez, tais como enjoos, vômitos, sonolência, entre outros.

Pesquisas recentes demonstraram que o surgimento desses sinais tem ligação com a síntese de gonadotrofina coriônica humana (HCG), popularmente chamada de hormônio da gravidez.

Estar presente ou não esse sangramento, não quer dizer necessariamente que haja ou não prejuízo para a gestação. Essa informação é importante para acalmar mulheres mais ansiosas que estão tentando engravidar.

Sangramento de Nidação x Sangramento de Menstruação

Conforme já comentamos anteriormente, muitas mulheres desconhecem a nidação e acabam confundindo esses dois acontecimentos fisiológicos em seus corpos, o que explica-se pela grande semelhança entre os processos.

Por conta disso, vejamos na sequência algumas das principais diferenças básicas entre a menstruação e o sangramento vindo da nidação:

1 – Menstruação

O fluxo menstrual normal possui em média a duração de 5 a 7 dias e acontece a cada 28 dias, podendo variar um pouco conforme o organismo de cada mulher.

De forma natural, algumas mulheres possuem ciclos mais curtos, já outras têm ciclos mais duradouros.

Na menstruação, o sangramento apresenta tons mais fortes de vermelho, coloração que vai se tornando mais clara no decorrer dos dias.

2 – Sangramento de Nidação

É aquele que ocorre fora do período menstrual, porém, frequentemente antes do período esperado.

Normalmente este sangramento costuma ter fluxo leve e apresentar uma cor levemente rosada, podendo ainda variar para o marrom.

Aqui o período de duração é de 3 dias em média e algumas vezes pode ser confundido com um sintoma de gravidez.

Uma maneira de diferenciar a nidação da menstruação é justamente sentir sinais de uma gestação, o que pode ocorrer em certos casos durante esse período, tais como enjoos, tonturas, sonolência e outros.

O que Ocorre Após o Período de Nidação

Como já dito anteriormente, o período de nidação é o estágio anterior antes da consolidação de uma gestação.

Isso se dá porque ela se encerra no instante em que o zigoto é implantado na camada do endométrio e de lá passa a entrar em contato com o oxigênio e outros nutrientes essenciais no desenvolvimento do saco gestacional e crescimento do feto.

Logo após a confirmação da gravidez, é o momento da mulher consultar um ginecologista para começar a fazer seu planejamento pré-natal. Importante lembrar que os primeiros 3 meses de gravidez requer muitos cuidados.

Com a implantação do óvulo fecundado no útero, o organismo dará sequência às demais fases naturais da gestação.

Entre estas etapas, está o crescimento do útero para acomodação do bebê, o aumento das mamas para amamentação, além de alterações hormonais e fisiológicas inerentes ao período.

Nidação e Fatores de Interferência

Algo essencial no sucesso da etapa de nidação diz respeito a qualidade do embrião, pois sem isso, a implantação embrionária pode ser muito prejudicada, impedindo até mesmo que a gestação ocorra.

Pesquisas científicas recentes associam o sêmen de má qualidade a uma formação inadequada do embrião, o que dificulta a nidação, mesmo que ainda não exista um consenso sobre o tema.

Além disso, o problema pode estar relacionado à qualidade dos óvulos, ainda mais se tratando de mulheres que já passaram da faixa dos 35 anos.

Muitos não sabem, mas as mulheres ao nascer já contam com todas as suas células reprodutivas pré-formadas.

Entretanto, no decorrer da vida e dos anos, tais células também envelhecem, diminuindo aos poucos a capacidade de reprodução da mulher.

Para maiores informações a respeito deste assunto, entre em contato com seu médico, ele saberá responder individualmente seus maiores questionamentos.

Veja também: