Pular para o conteúdo

Edema Pulmonar – O Que É, Causas, Sintomas e Tratamentos

A edema pulmonar ocorre quando o líquido se acumula nos sacos de ar dos pulmões – os alvéolos – dificultando a respiração.

Isso interfere nas trocas gasosas e pode causar insuficiência respiratória.

Portanto, e edema pulmonar pode ser agudo (início repentino) ou crônico (ocorrendo mais lentamente ao longo do tempo).

Se for agudo, é classificado como emergência médica, necessitando de atenção imediata.

A causa mais comum de edema pulmonar é a insuficiência cardíaca congestiva, onde o coração não consegue acompanhar as demandas do corpo.

Desse modo, o tratamento do edema pulmonar geralmente se concentra em melhorar a função respiratória e lidar com a fonte do problema.

Geralmente inclui o fornecimento de oxigênio e medicamentos adicionais para tratar as condições subjacentes.

Causas do Edema Pulmonar

Causas do Edema Pulmonar

Durante a respiração normal, os pequenos sacos de ar nos pulmões – alvéolos – se enchem de ar. Sendo assim, o oxigênio é absorvido e o dióxido de carbono é expelido.

O edema pulmonar ocorre quando os alvéolos são inundados.

Portanto, quando os alvéolos são inundados, ocorrem dois problemas:

  • A corrente sanguínea não pode receber oxigênio suficiente.
  • O corpo é incapaz de se livrar do dióxido de carbono adequadamente.

As causas comuns incluem:

  • Pneumonia;
  • Sepse (infecção no sangue);
  • Exposição a alguns produtos químicos;
  • Insuficiência de órgãos que causa acúmulo de líquidos – insuficiência cardíaca congestiva, insuficiência renal ou cirrose hepática;
  • Quase afogamento;
  • Inflamação;
  • Trauma;Reação a certos medicamentos;
  • Overdose de drogas.

Além da lesão direta nos pulmões, como na SDRA (Síndrome do Desconforto Respiratório Agudo), outras causas incluem:

  • Lesões cerebrais como sangramento cerebral, acidente vascular cerebral, traumatismo craniano, cirurgia cerebral, tumor ou convulsão;
  • Altitude elevada;
  • Transfusão de sangue.

Edema Pulmonar Cardiogênico

Edema Pulmonar Cardiogênico

O edema pulmonar devido a um problema direto no coração é chamado de cardiogênico.

Portanto, a insuficiência cardíaca congestiva é uma causa comum de edema pulmonar cardiogênico. Sendo assim, nessa condição, o ventrículo esquerdo não pode bombear sangue suficiente para atender às necessidades do corpo.

Isso causa um acúmulo de pressão em outras partes do sistema circulatório, forçando o fluido para os sacos de ar dos pulmões e outras partes do corpo.

Além disso, outros problemas relacionados ao coração que podem levar ao edema pulmonar incluem:

  • Sobrecarga de fluido: isso pode resultar de insuficiência renal ou fluidoterapia intravenosa.
  • Emergência hipertensiva: um aumento severo da pressão arterial que exerce pressão excessiva sobre o coração.
  • Derrame pericárdico com tamponamento: um acúmulo de líquido ao redor do saco que cobre o coração. Isso pode diminuir a capacidade do coração de bombear.
  • Arritmias graves: podem ser taquicardia (batimento cardíaco acelerado) ou bradicardia (batimento cardíaco lento). Qualquer um pode resultar em mau funcionamento do coração.
  • Ataque cardíaco grave: isso pode danificar os músculos do coração, dificultando o bombeamento.
  • Válvula cardíaca anormal: pode afetar o fluxo de sangue para fora do coração.

Causas de edema pulmonar que não são devidas à insuficiência cardíaca são chamadas não cardiogênicas.

Portanto, eles são geralmente causados ​​por SDRA (Síndrome do Desconforto Respiratório Agudo).

Sendo assim, esta é uma inflamação grave dos pulmões que leva a edema pulmonar e dificuldades respiratórias significativas.

Sintomas do Edema Pulmonar

Sintomas do Edema Pulmonar

O edema pulmonar agudo causa dificuldades respiratórias significativas e pode aparecer sem aviso prévio. Portanto, esta é uma emergência e requer atenção médica imediata.

Afinal, sem tratamento e apoio adequados, pode ser fatal.

Juntamente com dificuldades respiratórias, outros sinais e sintomas de edema agudo de pulmão podem incluir:

  • Tosse, geralmente com escarro espumoso rosa;
  • Suor excessivo;
  • Ansiedade e inquietação;
  • Sentimentos de asfixia;
  • Pele pálida;
  • Chiado;
  • Ritmo cardíaco rápido ou irregular (palpitações);
  • Dor no peito.

Se o edema pulmonar é crônico, os sintomas são normalmente menos graves até o sistema do corpo não poder mais compensar. Os sintomas típicos incluem:

  • Dificuldade em respirar quando deitado (ortopnéia);
  • Inchaço (edema) dos pés ou pernas;
  • Rápido ganho de peso devido ao acúmulo de excesso de líquido;
  • Dispneia noturna paroxística – episódios de falta de ar repentina e grave à noite;
  • Fadiga;
  • Aumento da falta de ar com atividade física.

Tratamento

Para aumentar os níveis de oxigênio no sangue do paciente, o oxigênio é fornecido através de uma máscara facial ou pinos – pequenos tubos de plástico no nariz.

Um tubo de respiração pode ser colocado na traqueia se for necessário um ventilador ou aparelho de respiração.

Se os testes mostrarem que o edema pulmonar é devido a um problema no sistema circulatório, o paciente será tratado com medicamentos intravenosos para ajudar a remover o volume de líquidos e controlar a pressão arterial.

Como Prevenir?

Pacientes com risco aumentado de desenvolver edema pulmonar devem seguir as orientações do médico para manter sua condição sob controle.

Se o problema for insuficiência cardíaca congestiva, seguir uma dieta saudável e bem equilibrada e manter um peso corporal saudável podem ajudar a reduzir o risco de futuros episódios de edema pulmonar.

O exercício regular também melhora a saúde do coração, assim como:

  • Reduzindo a ingestão de sal: o excesso de sal pode levar à retenção de água. Isso aumenta o trabalho que o coração tem que fazer.
  • Diminuir os níveis de colesterol: o colesterol alto pode levar a depósitos de gordura nas artérias, o que, por sua vez, aumenta o risco de ataque cardíaco e derrame e, portanto, edema pulmonar.
  • Parar de fumar: o tabaco aumenta o risco de várias doenças, incluindo doenças cardíacas, pulmonares e problemas circulatórios.

O edema pulmonar induzido pela altitude pode ser minimizado fazendo uma subida gradual, tomando medicamentos antes de viajar e evitando o esforço excessivo enquanto progride para altitudes mais altas.

E então, o que você achou das informações? Gostou?

Portanto, deixe o seu comentário abaixo!

Além disso, aproveite para compartilhar o post em suas redes sociais!

Veja também: