Dieta da Proteína para Emagrecer – Como Fazer e Dicas de Cardápio

Muitas dietas se tornaram famosas ultimamente, seja pelos resultados que apresentaram ou pela excentricidade do método em si, que é muito diferente dos métodos tradicionais de emagrecimento.

O fato é que todos nós precisamos conciliar hábitos saudáveis de vida, seja através de uma rotina regular de exercícios físicos, por meio de uma alimentação mais equilibrada, etc…

E uma das dietas da moda quem fazendo muito sucesso atualmente entre muitos adeptos e gerando resultados positivos para os mesmos, é a dieta da proteína, que ajuda na perda de peso, na ativação do metabolismo e manutenção de massa magra.

Resumidamente, esta dieta nada mais é do que um plano alimentar que incentiva uma redução radical no consumo de carboidratos, dando total enfoque no consumo de proteínas.

Proposta da Dieta da Proteína

A ideia principal desta dieta consistente no seguinte foco: ao excluir a ingestão de carboidrato em nossas refeições, nosso organismo é obrigado a usar suas reservas de gordura como fonte principal de energia, colaborando desta forma para que a pessoa emagreça rapidamente.

Além do mais, o carboidrato tem o poder de incentivar a geração de insulina, este hormônio tão conhecido que, dentre outras atribuições, provoca a fome.

Reduzindo o consumo deste nutriente, teremos como consequência uma diminuição do hormônio, fato que colabora para que a pessoa sinta menos fome.

Estas são as bases que sustentam a dieta da proteína e que explicam a rápida perda de peso por parte daqueles que apostaram neste plano alimentar.

Como Fazer a Dieta da Proteína

Antes de qualquer coisa, como sempre fazemos, recomendamos com veemência que você jamais inicie por conta própria qualquer tipo de dieta sem acompanhamento médico especializado ou um profissional de nutrição.

Pois somente eles poderão te avaliar individualmente e assim propor algo que seja seguro para suas necessidades.

Dito isso, é fundamental relatar que, para fazer esta dieta, será preciso que você se adapte a uma menor variedade de alimentos no início, principalmente durante a primeira fase da dieta.

Após o término da primeira fase, alimentos diferentes poderão ser acrescentados, dando preferências aos alimentos integrais, como pão integral, arroz integral, massa integral, entre outros.

Se comer bastante carne te trás saciedade e ficar por um tempo sem batata, arroz, macarrão, pão e outros, for tranquilo para você, com certeza será tranquila a dieta para você.

A Dieta da Proteína não exclui do seu cardápio o consumo de legumes e frutas, porém, a depender do estágio que está, alguns desses poderão ser restringidos ou não poderão fazer parte do cardápio mesmo.

O consumo de bebidas alcoólicas está totalmente vedado também, inclusive o bom e velho vinho.

Para ficar mais claro como fazer esta dieta, falaremos sobre sua composição, onde temos nas refeições comuns uma média de 55% a 60% de carboidratos, inferior a 30% de gorduras e 15% de proteínas.

A recomendação para elaboração da Dieta da Proteína com maior índice proteico seria reduzir a quantidade de carboidratos para algo em torno de 40 a 50% do prato e elevar a proporção de proteínas para algo em torno de 22 a 45% do valor energético total.

Metabolismo

Alimentação na Hora Certa

As proteínas são nutrientes de digestão muito lenta, fato que pode colaborar para prolongar o período de sensação de saciedade.

Não existe restrição de quantidade de alimentos a serem ingeridos, apenas os tipos de alimentos são restritos.

O que nem todos sabem é que sim, existe uma redução de peso no curto prazo com a dieta da proteína e outras semelhantes.

Porém essa perda não é necessariamente de gordura, pois acontece também diminuição da massa magra, como os músculos.

Por conta da ingestão radicalmente limitada de carboidratos, abaixo do sugerido pela OMS (Organização Mundial de Saúde) de 55 a 75% das calorias totais do dia, nosso organismo tende a converter gordura em energia, provocando a liberação de corpos cetônicos, substâncias que em níveis elevados podem ser muito danosos às células.

Pessoas que fazem esta dieta costumam relatar quadros de tonturas, fraqueza e desmaios, além de constipação intestinal frequente, por conta da baixa ingestão de fibras.

Além disso, o enorme consumo de alimentos à base de proteínas e gorduras saturadas e colesterol elevado gera níveis de colesterol ruim altíssimos, o que favorece a ocorrência de problemas cardiovasculares muito graves.

Outra consequência desse consumo desenfreado de proteínas pode ainda ocasionar sobrecarga renal e, se mantida a longo prazo, existe o risco do desenvolvimento de insuficiência renal.

As 4 Etapas da Dieta da Proteína

1 – Indução

No decorrer de duas semanas estão liberados o consumo de carnes, queijos e demais produtos ricos em gordura, enquanto somente os vegetais com baixo teor de carboidratos são permitidos, como brócolis, tomate e alface, todos eles limitados a apenas três porções pequenas ao dia.

2 – Perda de Peso Contínua

A meta nessa etapa é encontrar a quantidade ideal de carboidratos que podem ser consumidos e mesmo assim perdendo peso, sendo assim, a quantidade de legumes pode ser aumentada.

Essa fase dura até que se esteja de 3 a 5 kg de seu peso ideal.

3 – Pré Manutenção

Nesta etapa se descobre a quantidade de carboidrato que pode comer sem ganhar peso. 10 gramas de carboidratos podem ser adicionados por dia.

Esta fase dura de dois a três meses.

4 – Manutenção

Por fim, o objetivo é manter os hábitos alimentares adquiridos nas fases anteriores, com aproximadamente 100 gramas de carboidratos ao dia.

Alimentos Permitidos na Dieta da Proteína

Sashimi e Sushi

Os alimentos que podem ser ingeridos na dieta da proteína abrangem aqueles ricos em proteínas, além de verduras, legumes e outros, como:

  • Peixes: atum, bacalhau e sashimi
  • Frutos do mar: camarão, lagosta, siri ou caranguejo e mexilhões
  • Carnes: todos os cortes de frango, aves, porco e boi
  • Derivados do leite: queijos, iogurtes, coalhada
  • Verduras: salsa, repolho, chicória, cebola, alface, agrião, espinafre, couve-flor, couve, brócolis, acelga, aspargos e salada verde
  • Legumes: vagem, chuchu, tomate, cenoura, sopa de legumes, pimentão, abobrinha verde, rabanete, quiabo, pepino, nabo, berinjela e cogumelo
  • Outros: sal, ovos, omelete, gelatina dietética, pimenta, azeitona com tempero, azeite, manteiga, margarina, limão e jiló
  • Bebidas: chá, café descafeinado, água com gás, água tônica diet e água natural.

E ai, o que achou da Dieta da Proteína?

Já tentou fazer ela ou alguma outra?

Nos conte suas experiências logo baixo, isso contribuirá com o aprendizado de todos.

Veja também: