Criolipólise – Antes e Depois, Cuidados e Principais Contraindicações

Em busca de uma vida com mais saúde, muitas pessoas tem apostado cada vez mais em uma vida equilibrada, à base de uma alimentação saudável, uma rotina de exercícios físicos regulares e ainda novos hábitos de vida em todas as áreas.

Ainda assim, muitas destas pessoas buscam alcançar a perfeição e nem sempre ficam satisfeitas com os resultados obtidos naturalmente.

É por isso que o Brasil é um dos campeões mundiais em número de cirurgias plásticas realizadas ano após ano.

A ciência médica e as novas tecnologias existentes são consideradas hoje em dia grandes aliadas de quem busca resultados ainda mais perfeitos em seus corpos, sem ter que se submeter a uma cirurgia plástica convencional.

É justamente ai que entra a técnica de Criolipólise, que é um tratamento estético muito na moda hoje, sendo utilizado por diversos artistas famosos e com ótimos resultados, o que vem estimulando que as pessoas do público em geral também o façam.

Caso você não esteja totalmente satisfeito com seu corpo portanto e tem vontade de conseguir uma melhor definição ou mesmo acabar com aquelas gordurinhas que insistem em habitar algumas regiões do seu corpo, conheça melhor a técnica de Criolipólise, que pode ser ideal para você que não quer passar por cirurgia.

O que é a Criolipólise?

A Criolipólise nada mais é do que uma técnica de tratamento estético que é recomendado para pessoas que desejam eliminar aquele acúmulo de gordura tão incomodo, que além de ser difícil eliminar, fica localizado em diversas regiões do corpo, principalmente coxas, abdômen, tórax, quadril e braços.

A técnica baseia-se seus princípios na intolerância das células de gordura (adipócitos) às baixas temperaturas, pois nestas situações elas tendem a romper-se.

Para que a técnica possa ser aplicada, é utilizado um aparelho estimulador dessas baixas temperaturas no corpo do paciente.

Estima-se atualmente que esta técnica pode garantir já na primeira sessão de tratamento, a eliminação de aproximadamente 44% da gordura localizada naquela determinada região de uso.

Falando mais especificamente do processo e de como funciona esta técnica, temos um equipamento que é utilizado para congelar as células de gordura de uma determinada área do corpo.

Após isso, essas células irão se desfazer e o próprio organismo dará conta de eliminar o material resultante.

Porém para que todo este procedimento seja seguro e eficiente, e mesmo não sendo algo invasivo como uma cirurgia, ele deve ser feito somente por um dermatologista ou outro médico especialista.

Os equipamentos usados também devem estar certificados, regularizados e verificados para garantir eficácia e segurança máxima tão necessária aos pacientes.

Quando não são observados os requisitos acima, existe um grande risco de acontecer complicações mais sérias, como o surgimento de queimaduras gravíssimas de 2º ou até de 3º grau.

Criolipólise – O Tratamento

Como citado anteriormente, a técnica de Criolipólise é um procedimento considerado até muito simples, desde que feito por um profissional habilitado.

Para se aplicar o aparelho no paciente, tal especialista passa um pouco de gel protetor na pele da pessoa e logo na sequência posiciona o aparelho na área a ser tratada.

Feito isso, o equipamento começará a sugar a pele e a gordura subcutânea e assim resfriar a região em aproximadamente -7 a -10ºC por 1 hora, que é o tempo preciso para que ocorra o congelamento dos adipócitos.

Após isso, as células de gordura irão romper-se e serão excretadas de forma natural pelo sistema linfático.

Cuidados Necessários Pós Sessões de Tratamento

Após a realização do tratamento, é recomendado que todos pacientes passem por uma sessão de massagem no local para uniformizar a região tratada.

É sugeridos ainda aos mesmos que eles façam ao menos uma sessão de drenagem linfática ou pressoterapia, procedimentos que visam facilitar a eliminação de gordura e assim dar um “up” nos resultados, que poderão ser notados mais rapidamente.

No entanto, é bom citar que não é preciso relacionar nenhuma outra forma de procedimento estético ao protocolo da Criolipólise, isso porque não existe até o momento nenhuma comprovação científica de que as mesmas sejam eficientes.

Assim, basta somente fazer o procedimento de Criolipólise e logo após fazer sessões de drenagem linfática com regularidade para obter o sonhado resultado bem mais rápido.

Crioilipólise – Antes e Depois

Tudo ocorrendo dentro do esperado, já será possível observar os primeiros resultados do tratamento em aproximadamente 15 dias.

Porém, eles são progressivos e vão ocorrendo em cerca de 8 semanas pós tratamento, que geralmente é o tempo que o organismo precisa para eliminar por completo toda gordura que foi congelada no procedimento.

Logo após este período inicial, é muito importante que o paciente retorne ao consultório de seu médico para que ele reavalie o procedimento e seus resultados, e constate portanto a quantidade de gordura eliminada para saber se é necessário a recomendação de uma nova sessão de tratamento ou não.

Importante citar que existe um intervalo mínimo recomendado de 2 meses entre cada sessão, para segurança do paciente, pois em cada uma delas é eliminado cerca de 4 cm de gordura localizada.

É um Procedimento Dolorido?

Muitas pessoas tem receio de procurar este tipo de tratamento por medo de sentir muita dor durante as sessões, mas de acordo com quem já fez o procedimento, a Criolipólise pode causar uma pequena dor no instante em que o equipamento suga a pele, algo que se assemelha a um forte beliscão, mas que passa rápido por conta da anestesia gerada pela própria baixa temperatura do equipamento.

Logo após o término da sessão, é comum que a pele fique avermelhada e apareça algum inchaço.

Para diminuir este incomodo, o médico pode indicar a realização de uma massagem no local para alivio da dor e desconforto.

Além de reduzir a dor causada naquelas primeiras horas, a massagem dará ainda um melhor conforto e aspecto para a pele da região tratada.

Há Riscos para a Saúde?

A criolipólise é um procedimento seguro, desde que realizado por um profissional capacitado e que o aparelho esteja devidamente calibrado e com a temperatura ajustada.

Não sendo consideradas tias condições, existe sim um forte risco de acontecer queimaduras de 2º a 3º grau, seja por conta da desregulação da temperatura ou seja por causa da manta que é colocada entre a pele e o equipamento, que precisa estar íntegra.

Além do mais, para reduzir riscos, é altamente recomendado que o período entre sessões seja em torno de 90 dias, nunca menos que isso, pois nestes casos pode ocorrer uma resposta inflamatória fortemente exagerada do organismo.

Mesmo que até o momento não sejam descritos muitos riscos relacionados ao tratamento de Criolipólise, o procedimento não é aconselhado para pessoas que tenham sido diagnosticadas com doenças relacionadas ao frio, como crioglobulinemias, que tem alergia ao frio, hemoglobinúria paroxística noturna ou que sofrem do fenômeno de Raynaud.

A Criolipólise não é recomendada ainda para aquelas pessoas com algum tipo de hérnia na área a ser tratada, para mulheres em gestação ou por pessoas que tenham cicatrizes na região que será aplicado o procedimento.

E você, tem alguma experiência para dividir com todos nós a respeito do procedimento?

Já o fez ou pretende fazer?

Veja também: