11 Benefícios do Chá de Melissa e Efeitos Colaterais

Muito conhecida popularmente como erva-cidreira, a Melissa é uma planta originária da região do Mediterrâneo e da Ásia, sendo uma das plantas mais cultivadas e usadas para fins medicinais há muito tempo.

A planta pode chegar a medir de 20 a 80 centímetros de altura, sendo que seus caules, ramificados a partir da base, formam touceiras.

Já suas folhas são verde-escuras na parte superior e verde-claras na parte mais inferior.

Ela é conhecida também por exalar uma fragrância parecida aos limões, sendo muitas vezes inclusive, confundida com o capim-limão.

Normalmente ingeridas através de efusões de chá, a melissa é ótima como auxiliar em diversas moléstias, como ansiedade e do trato digestivo.

Além do chá, ela também pode ser encontrada como suplemento ou extrato, ou ainda, em produtos para a pele, como bálsamos e loções.

Muitos ainda utilizam seu óleo essencial como um auxiliar na aromaterapia, para combater situações de estresse, depressão, dores de cabeça crônicas, insônia, entre outros.

A planta conta em sua composição com uma substância chamada de ácido rosmarínico, que estudos tentam demonstrar possíveis propriedades antioxidantes e antimicrobianas.

De modo geral, o uso da erva-cidreira é bem conhecido ainda para tratar problemas como herpes labial, colesterol alto, herpes genital, azia, indigestão e outros.

Benefícios da Melissa e Seu Chá para Nosso Organismo

1 – Reduz a Ansiedade

O ácido rosmarínico citado anteriormente, eleva a disponibilidade de neurotransmissores no cérebro, conhecidos como ácido gama-aminobutírico (GABA), que quando em níveis reduzidos, está ligado à problemas de ansiedade e a outros transtornos do humor.

2 – Auxilio Contra a Insônia

O ácido rosmarínico que age na ansiedade também tem o poder de melhorar a qualidade do sono naquelas pessoas com problemas de insônia.

3 – Coadjuvante no Tratamento de Herpes

Mais uma vez, o ácido rosmarínico tem papel importante aqui, pois contém propriedades antivirais potentes que podem, segundo estudos recentes, auxiliar na mitigação de algumas infecções virais.

Destes, ele demonstra ser mais eficiente na inibição do vírus herpes simplex tipo 1 (HSV-1), que está relacionado ao herpes labial e certos casos de herpes genital.

4 – Auxiliar Contra Problemas Gastrointestinais

Existem evidências atualmente de que a melissa pode colaborar no tratamento de sintomas de dor de estômago, síndrome do intestino irritável e refluxo ácido.

Mas não é apenas de ácido rosmarínico que a melissa é feita, ela também contém importantes substâncias, como citral, citronelal, linalol, geraniol e beta-cariofileno, que apresentam propriedades espasmolíticas (antiespasmo) e carminativas (antigases).

Por conta disso, a erva-cidreira também é muito eficiente para aliviar sinais e sintomas de enjoo, náusea, inchaço, cólicas, indigestão e outros.

5 – Mitigação dos Sintomas de Alzheimer

Pesquisas iniciais indicam que o citral contido no extrato de erva-cidreira tem o poder de inibir a colinesterase, que é uma enzima direcionada pelos fármacos Aricept (donepezil), Exelon (rivastigmina) e Razadyne (galantamina), todos utilizados ​no combate do Alzheimer.

6 – Melhoria da Função Cognitiva

Uma pesquisa recente observou efeitos positivos da ação da melissa na função cognitiva.

Os participantes do estudo fizeram atividades cognitivas que se relacionavam com a memória, matemática e concentração.

Os resultados desse estudo indicaram que aqueles que consumiram algo à base da planta, alcançaram uma performance melhor que aqueles que não fizeram consumiram a mesma.

7 – Ajuda no Processo Digestivo

A erva-cidreira é muito conhecida também por essa característica de causar uma excelente ação no processo digestivo e diminuir dores estomacais, tudo isso por conta de seus componentes específicos.

8 – Alivio de Cólicas Menstruais

Estudos recentes também indicam que essa planta pode ser utilizada para minimizar significativamente as dores causadas por cólicas menstruais e também pela síndrome pré-menstrual (TPM).

9 – Alivio para Dores de Cabeça Crônicas

A planta da melissa contém muitas substâncias com propriedades calmantes e que ajudam na liberação da tensão e relaxamento da musculatura, o que acaba contribuindo no alívio de dores de cabeça crônicas ou aquelas resultantes de estresse.

10 – Possui Grande Concentração de Antioxidantes

Conforme também indicam algumas pesquisas, a planta melissa tem a propriedade ainda de agir como um forte antioxidante, sendo muito eficiente no combate ao estresse oxidativo.

Por conta disso, diversos cientistas acreditam que a melissa possa contribuir decisivamente na ajuda a pessoas com condições relacionadas ao estresse oxidativo, como: diabetes, doenças neurodegenerativas crônicas (Parkinson e Alzheimer) e doenças cardiovasculares.

11 – Diminuição de Processos Inflamatórios

Hoje existem certas evidências de que a erva-cidreira tem a possibilidade de auxiliar no combate a inflamação.

Apesar de evidências apontarem que o chá de melissa pode ser efetivo no tratamento da dor e inflamação após uma lesão, ainda não se pode fechar conclusões a respeito deste tema, pois não se conhece exatamente tudo sobre o mecanismo anti-inflamatório exato da planta.

Há a necessidade de maiores estudos portanto para se chegar a uma conclusão.

Possíveis Efeitos Colaterais Esperados

De modo geral, o chá de melissa ou as demais formas de consumir a planta, são considerados seguros para uso em curto prazo.

Apesar disso podem acontecer alguns efeitos colaterais, muitos deles até esperados as vezes, como dor de cabeça, náusea, distensão abdominal, gases, vômitos, indigestão, tontura, dor de estômago, dor ao urinar, ansiedade e agitação.

Quanto maior for o consumo do produto, maiores serão os riscos desses efeitos colaterais aparecerem.

Consumir doses muito altas ou por muito tempo não é recomendado, pois isso pode afetar potencialmente a função da tireoide, reduzindo a síntese dos hormônios da tireoide.

A recomendação mais comum, é que você deve usar o chá de melissa ou outros extratos e suplementos da planta por no máximo 6 semanas (4 a 6 é o ideal).

Existe ainda a possibilidade de algumas pessoas desenvolverem a conhecida dermatite de contato ao utilizar uma preparação tópica da planta.

De forma geral, é raro acontecer reações alérgicas muito graves, mas é bom, antes de usar um produto assim, aplicar um pouquinho antes no antebraço e aguardar cerca de 24 horas para ver se há alguma reação.

As mais esperadas, caso apareça alergia, é alguma vermelhidão, erupção ou irritação no local.

Por fim, ela pode causar ainda um retardamento da coagulação sanguínea, portanto, caso você tenha algum procedimento cirúrgico marcado, é fundamental parar de utilizar a erva-cidreira por cerca de 2 semanas antes do procedimento, para evitar que aconteça sangramento em excesso.

Recomendamos por fim que você só utilize o chá de melissa, visando alguns de seus benefícios, com indicação expressa de seu médico, pois o mesmo é o mais indicado profissional que saberá avaliar caso a caso os prós e contras do uso da mesma.

E você, faz uso do chá de melissa ou usa alguns de seus extratos?

Qual sua opinião sobre o assunto?

Sentiu algum efeito benéfico ou colateral?

Compartilhe conosco sua experiência!

Veja também: